5 Motivos para Estudar Análise Técnica Hoje!

Tempo de leitura: 12 minutos

Por acaso você estudou análise técnica nos últimos dias?  Independentemente de você ser um Expert no assunto ou ter simplesmente passado por uma leitura superficial do assunto,  aquela correria do dia a dia frequentemente nos faz deixar alguns de nossos projetos pessoais em segundo plano. Infelizmente,  muitas vezes estudar análise técnica é uma dessas coisas que deixamos para depois.  Mas como a maioria das vezes em que procrastinamos,  esse é um daqueles casos em que deixar para depois pode sair muito caro.  No nosso bate-papo de hoje eu vou te mostrar cinco motivos pelos quais eu acredito que você deve parar imediatamente o que está fazendo e implementar uma rotina de estudo de análise técnica,  se o que você quer é alcançar um próximo nível na performance e qualidade das suas operações em bolsa de valores.  Na noite de hoje eu estava bastante inspirado,  e resolvi gravar um vídeo  para te apresentar esses motivos.  É claro que um bom vinho de acompanhamento não poderia faltar.  Junte-se a mim nessa experiência clicando no vídeo abaixo:

Motivo número 1:  O estudo leva ao alinhamento com a lógica do mercado.

Quando nós estudamos análise técnica,  é como se o conjunto de ideias,  padrões e técnicas que compõem cada método se incorporassem quase que imediatamente  na forma como enxergamos o mercado em seguida.  É claro,  o tempo passa e nós todos sabemos que não é qualquer linha de pensamento que resiste a ele.  Essa forma de ver o mercado no método que acabo de citar como exemplo é como se fosse um círculo de influência.  No momento em que estamos estudando o método,  é como se toda a nossa forma de entender a dinâmica de mercado estivesse dentro deste círculo.  Isso,  é claro,  se estivermos com a mente aberta para absorver aquelas ideias no momento em que temos contato com elas.  Logo o tempo passa e nós experimentamos colocar aquilo em prática.  Não demora para começarmos a adaptar alguns dos formatos, das figuras e dos padrões, mesmo que por uma semelhança de curta amostra,  àquilo que consideramos como método.

Preste atenção porque nesse momento você pode talvez não ter percebido mas está sendo formado em um outro círculo de influência.  Vamos adiantar alguns passos dessa história…  Entre outras fontes de estudo e experiências práticas das mais diversas,  vários círculos vão sendo formados nessa espécie de zona de influência.  Todo esse ciclo de aprendizado e descoberta pode  até parecer que não tem fim, mas em certo  momento,  você começa a ligar os pontos mentalmente e descobre que entre os vários círculos de influência que foram formados ao longo dessa trajetória,  começa a ficar evidente uma área comum entre a maioria deles.  “Touché“…  É nessa hora que você descobre que sua percepção daquilo que acontece está alinhada com a lógica do mercado.

Gostaria de deixar uma opinião bem clara nesse exato momento:  eu realmente eu sou um aficionado por setups, hacks,  otimizações e tudo aquilo que me ajuda a determinar um padrão de ação e reação mais aderente ao comportamento das manadas.  No entanto, precisamos comer muito arroz e feijão para não correr o risco de  perder o controle em algum momento.  Técnicas muito pontuais e específicas  são,  muitas vezes,  a chave para uma melhor performance em um determinado momento.  Mas saiba que,  caso não exista o devido preparo e o entendimento de que por trás de tudo aquilo existem compradores e vendedores,  que tomam decisões por medo e ganância,  você corre grandes riscos do sua estratégia se  tornar perecível em algum momento.  Por outro lado,  se você souber juntar o melhor dos dois mundos,  tendo bem clara a área comum entre todos os círculos de influência,  desenvolver e adaptar estratégias não será um problema para você no longo prazo.

Motivo número 2:  Estudar análise técnica amplia a sua visão periférica de mercado

Muitas vezes somos tentados a enxergar apenas aquilo que nós queremos.  Ver uma determinada ideia de trade funcionando ao longo de alguns poucos dias,  e disto presumir que há algo a ser feito,  certamente é mais confortável do que pensar que este padrão Pode não estar preparado para uma mudança no humor dos players que operam aquele determinado papel.  É nesse momento que alguém que estudou análise técnica, de maneira profunda, definiu os seus círculos de influência e  vislumbra a área comum entre eles de forma clara  desenvolverá uma espécie de olhar clínico.

Estudar análise técnica  e modelar um método próprio com base nas convicções formadas  são ações que provocam uma espécie de efeito colateral.  Não se preocupe pois esse, felizmente, é um efeito colateral  bastante desejável.  Falo da capacidade de identificar as mudanças do mercado através de uma espécie de visão periférica.  Isso muitas vezes acontece quando a partir desta Nossa área comum do Círculo de influência,  reunimos diferentes pontos de vista analíticos com base em diferentes tempos gráficos.  É um exemplo bem simples,  ao exercitar  a sua visão periférica através de análises complementares em múltiplos tempos gráficos:  Caso tenhamos um sistema de rompimentos que desempenha muito bem em períodos de forte tendência,  mas começamos a observar indícios em tempo gráfico mais longo  de que a manutenção daquelas pernadas provavelmente não será sustentável,  pode ser a nossa deixa para deixar as barbas de molho por um tempo ou adotar um gerenciamento de risco um pouco mais conservador,  com menor nível de exposição.  Por um outro lado,  caso o gráfico mais longo nos indique uma determinada entrada de fluxo que seja indicativa de uma continuidade de movimentos acentuados,  esta visão periférica nos ajuda a identificar um momento possível de oportunidade.

Motivo número 3:  Quem estuda análise técnica tem maior facilidade de operar de forma objetiva.

Existe uma grande diferença entre análise e estratégia, no universo técnico.  Apesar disso,  não é tão difícil gerenciar regras para definir de forma bem objetiva o que nos faz comprar ou vender,  assim como assumir lucros ou perdas,  a partir projeções de vieses ou pontos de invalidação de um determinado padrão gráfico.  Em outras palavras,  alguém que domine o ferramental da análise técnica terá nas mãos a faca e o queijo para converter sua percepção de mercado em uma tática de trade.

Análise técnica não é o único método em que é possível trabalhar de forma objetiva,  até porque no mercado americano existem mais robôs de arbitragem e market making do que robôs grafistas propriamente ditos.  No entanto,  em especial quando comparamos em relação à análise fundamentalista,  um trader individual  encontra uma facilidade muito maior em separar seu lado planejador do lado Executor.  Na prática,  com isso acabamos ganhando maior direcionamento,  o que também reduz  o tempo em que permanecemos ocupados processando decisões mentalmente, e nos traz como resultado uma elevação na performance,  na produtividade e na escala da atividade de investimento ou especulação.

Motivo  número 4:  Controle de riscos muito mais palpável.

Enquanto técnicas que dependem de uma formação de juízo de valor para que se defina se é hora de comprar ou vender muitas vezes tratam o risco de forma aproximada ou até mesmo “esfumaçada”,  alguém que tenha sinergia entre análise e estratégia no seu dia-a-dia de trading  encontrará  no stop loss uma medida com um elevado grau de precisão do valor que está em jogo para cada unidade negociada.  Métodos objetivos baseados em análise técnica têm sempre um plano A e o plano B.  Sendo o plano A a realização de lucros em um objetivo determinado e o plano B a limitação de perdas no ponto de Stop loss,  a única situação em que nos encontraríamos surpresos de alguma forma com uma perda maior do que inicialmente esperada no pior cenário  seria o que chamamos de cisne negro ou qualquer condição adversa de liquidez que faça com que o mercado pule o nosso stop.  Isto é raro e,  principalmente para quem opera day trade,  pode ser evitado ao se assumir  uma maior tolerância entre os gatilhos de disparo e as ordens efetivamente enviadas.  Já em alugum outro estilo de análise que demande certa maturação para que se conclua que uma posição perdedora deve ser liquidada,  o hiato entre preço e valor pode fazer com que a nossa disposição Inicial ao risco não se encaixe com o resultado final obtido.  Ponto para análise técnica 🙂

Motivo número 5:  Resultados exponenciais

Pense comigo:  Caso você tenha uma estratégia baseada em análise técnica com elevado grau de consistência histórica,  pode ver sentido na ideia aumentar sua exposição ao risco à medida que está ganhando e se sente seguro para tal,  Assim como reduzir tamanhos de lotes à medida que passa por um período de estresse.  Matematicamente falando uma postura como é essa viabilizaria efeito de juros compostos nos momentos favoráveis e tornaria o zero absoluto inatingível até mesmo em uma longa sequência de perdas.  Mas como é que alguém que,  nos passos anteriores, se alinhou com a lógica do mercado,  otimizou a visão periférica como aliada,  definiu uma estratégia objetiva  e controlar seus riscos de forma precisa, faria para colocar isso em prática?  É só fazer com que o aumento nas posições após períodos de ganhos consecutivos,  assim como a redução de lotes após perdas consecutivas,   altere as disposições financeiras sem com isto alterar o percentual do Capital total que é exposto ao risco a cada operação.  Assim,  você terá sempre o intervalo de risco aceitável dentro do qual,  a partir da distância entre a entrada e o stop do seu trade,  o tamanho da posição será definido de forma objetiva.  Basta  multiplicar seu capital Total atualizado pelo percentual fixo que você sempre expõe ao risco para obter o capital a ser arriscado na próxima operação.  Ao dividir este capital ao risco pela distância entre a entrada e STOP do trade,  chegamos ao tamanho de posição sugerido.  Por mais simples que pareça, este método proporciona ao grafista o efeito de juros compostos,  ao passo que adota posicionamentos mais conservadores à medida que o mar não se mostra para peixe.

Somente essa quinta sacada já é motivo mais do que suficiente para você tirar o estudo da análise técnica do campo das ideias e começar a praticar.  Se me perguntassem qual o melhor momento para começar a operar um trading system validado, minha resposta seria,  sem sombra de dúvidas,  5 anos atrás pelo menos.  Como escolher o passado não está ao nosso alcance,  o segundo melhor momento é agora!  Este não aceita desculpas,  é hora de agir!

No Brasil,  estudar análise técnica pode ser um desafio.  Poucas pessoas conhecem a área  e  um número bastante limitado de obras se encontra disponível em nossa língua portuguesa.  Talvez por conta da juventude de nosso mercado em termos de liquidez,  talvez por conta de questões culturais,  fato é que temos certa dificuldade de encontrar materiais que realmente remetam ao mundo da análise técnica de alta performance.

Eu mesmo só tive um contato mais intenso conheci mundo a partir de um workshop  online internacional do qual participei em 2010.  Foi lá que aprendi boa parte das bases que sustentam meus círculos de influência até os dias de hoje.  Mas você não precisa ouvir horas e mais horas de conteúdo em inglês à distância para aprender o que eu aprendi. Quero te fazer um convite.

Do dia 19 ao dia 25 de Setembro,  estarei promovendo a semana da análise técnica,  um workshop online e gratuito no qual, a partir de vídeos, aulas, estudos de caso, materiais complementares e até mesmo alguns encontros ao vivo pela internet, estarei dividindo com você meus conhecimentos,  minhas técnicas   e a minha forma de operar day trade e swing trade.

→Clique aqui para participar da Semana da Análise Técnica

Aproveitando,  inscreva-se agora mesmo no canal do Portal Aloq  no YouTube,  e seja notificado de meus próximos vídeos e matérias.

Eu te vejo no próximo conteúdo 🙂