Análise Técnica: Como Escolher um Tempo Gráfico?

Tempo de leitura: 7 minutos

Uma dúvida frequente entre investidores que estão aplicando a análise técnica como pilar central de suas operações é: “Qual o melhor tempo gráfico? ”. O tempo gráfico, para quem ainda desconhece o termo, é a escolha da quantidade de tempo de pregão contida em cada barra ou candle no gráfico. Por exemplo, um tempo gráfico diário é aquele em que cada barra gráfica corresponde ao resumo de um dia inteiro de negociação. Um de 15 minutos, por outro lado, é aquele em que cada barra corresponde a um intervalo sequencial de 15 minutos de pregão.

Para resolver este dilema, no conteúdo de hoje irei explicar, passo a passo, quais os pontos aos quais você deve se atentar, em seu checklist pessoal, para que o tempo gráfico escolhido seja a solução mais adequada aos seus objetivos, e não apenas uma receita de bolo qualquer. Você pode assistir ao vídeo em que explico tudo isto logo abaixo. Assista agora mesmo:

O melhor tempo gráfico para a sua necessidade

Antes de adentrarmos em aspectos técnicos, é importante que você defina qual o tipo de interação que deseja ter com o mercado. Em outras palavras, você pretende acompanhar o pregão durante o dia – quem sabe, até mesmo ser um day trader – ou busca ser um estrategista de final de dia, o famoso swing trader?

Primeiramente, precisamos compreender um aspecto importante dos tempos. Todo tempo gráfico em que o fechamento de uma barra e a abertura da próxima são separados por leilões, oferece a possibilidade de atuar como operador de final de dia. Os demais, mesmo que mantidos na proposta de um swing trade (operações que durem mais de um dia, e menos de 10, em geral), necessitam algum acompanhamento entre o fechamento de uma barra e a abertura de outra, o que pode inviabilizar toda a atividade para alguém que não possa comprometer seu tempo a isto.

Sendo assim, se você busca ser um operador de final de dia, poderá considerar opções como gráficos diários, semanais ou até mesmo mensais. Ademais, independentemente de seu objetivo ser swing trade ou day trade, se você abre espaço para tomadas de decisão dinâmicas dentro do pregão, pode considerar gráficos mais curtos.

Duração de formação do seu sinal gráfico

Um erro comum consiste em atribuir ao tempo gráfico, de forma isolada, toda e qualquer característica relacionada à frequência. Um tempo gráfico de 5 minutos pode operar menos do que um de 30, e isto pode ser relacionado a diversos fatores. Um deles é a duração de formação do seu sinal gráfico. Em outras palavras, quantas barras, em média, são necessárias para configurar seu sinal de entrada, do início da formação até o seu start propriamente dito? Responder esta dúvida será essencial para que você consiga alinhar o tempo de seu setup com a frequência de operações que deseja ter em seu dia-a-dia.

Duração média de cada trade

Tão importante quanto a duração de cada formação de sinal, é a duração média do que acontece depois de seu gatilho, ou seja, o trade em si. Consiste na duração média entre a execução de sua ordem, e a saída, seja por qual motivo for (Stop Loss, Stop Gain, Limite de tempo, etc.). Se o seu sistema tem uma maior duração, precisará de um gráfico mais curto para que haja mais frequência, a não ser que seu objetivo seja um sistema mais filtrado e de baixa interação.

A frequência a gosto do freguês

Ter um sistema que opere de modo a corresponder em frequência e ideologia ao que você tem como convicção de melhor caminho é muito importante. Dificilmente alguém que é exposto a condições que o tiram constantemente da zona de conforto, conseguirá manter um planejamento por muito tempo.

Isto vale tanto para toda a filosofia da sua trading idea (Conjunto de condições ou regras que te leva a fazer uma operação) quanto para a frequência de interação com o mercado da sua estratégia. Mas e agora? É hora de saber se tudo isto realmente funciona!

Depois do ponto de partida

Tudo o que vimos até agora é parte do planejamento de algo que pertença ao campo das ideias, sendo seu ponto de partida para testes de resultados, antes de entrar em campo. De acordo com todas estas preferências, e com a trading idea que você pretende testar, deverá experimentar a ideia inicial em formato de simulação passada.

No entanto, digamos que a partir das dicas anteriores você testou seu modelo em um gráfico de 15 minutos, e viu que existe muito a melhorar. Antes de começar a otimizar sua estratégia (leia também o artigo sobre como otimizar uma estratégia), por via de dúvida, experimente outros tempos gráficos para a mesma estratégia, ajustando somente o objetivo e o stop loss de acordo com a volatilidade média de cada tempo. Uma boa ideia para esta proporcionalidade é realizar uma proporção de Gain e Loss em função do indicador ATR(20) de cada gráfico.

Na prática, se temos um tempo gráfico de 15 minutos com objetivo de 200 pontos e Stop de 200 pontos no índice futuro, e o ATR(20) seja de, por exemplo, 200 pontos, o primeiro passo para simularmos condição semelhante no gráfico de 10 minutos, que tenha ATR de 100 pontos, é dividir o ATR deste tempo mais curto pelo de tempo mais longo e multiplicar, na sequência, pelos dados de STOP LOSS e STOP GAIN. Na prática, a adequação ao tempo de 10 minutos levará a alvos e STOP de 100 pontos cada, para este exemplo em especial.

E depois? Hora de testar. Só assim você verá se o tempo gráfico indicado no campo das ideias, visto anteriormente, poderia ser substituído por outro que ofereça maior nível de eficiência e menor tempo de exposição aos riscos de mercado.

Minhas descobertas recentes

Como você, que já me acompanha há algum tempo, deve saber… Hoje em dia o day trade é minha principal forma de interação com o mercado, sendo responsável pela alocação de 70% de meu gerenciamento de risco em renda variável. Seguindo estes passos, venho descobrindo coisas muito interessantes, como por exemplo: Estratégias em índice funcionam muito bem quando partem do princípio gerador de sinal seguidor de tendências, mas possuem alvos curtos em relação ao gain e se filtram por uma condição também seguidora de tendência em gráfico mais longo. No dólar, seguindo uma mesma linha, a filtragem já começa a fazer sentido no mesmo tempo gráfico, com o uso coordenado de ferramentas que se complementem. Em ambos os casos, gráficos ignorados pela maioria conservadora, como os de 4, 6, 10 e 12 minutos, muitas vezes oferecem resultados superiores aos vistos em tempos ortodoxos, como 1, 5 ou 15 minutos. Isto não é uma regra, apenas uma observação empírica.

Para concluir

Lembre-se que a modelagem de estratégias técnicas é como a arte de pintar quadros em branco. Você sempre deve começar por um esboço, para que depois, com o passo a passo correto, a obra vá tomando forma. O tempo gráfico é parte essencial de uma estratégia, e cabe ressaltar que diferentes tempos de um mesmo papel podem reagir a estímulos totalmente diferentes, no que resulta em ganhos ou perdas. Neste artigo, te mostrei a forma como EU calculo escolho meus tempos. Bora praticar você também?

Eu teria prazer em ver seu comentário logo abaixo. Assim, poderemos trocar ideias sobre este conteúdo, suas dúvidas e ideias. Ah, e não se esqueça de se inscrever no canal do Portal ALOQ no Youtube para ser notificado de cada nova matéria que eu postar.

 

Eu te vejo no próximo vídeo.